PITTER LUCENA

Jornalista acreano radicado em Brasília

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil
PageRank

segunda-feira, novembro 16, 2009

CHICO CHAGAS EM MILÃO

Dia 26 de novembro de 2009 - 22:30 horas
“La Salumeria della Musica” - Milão




Chico Chagas & Dave O`Higgins Project tem uma concepção sólida e bem evidente no palco. As composições de Chico e os arranjos do grupo têm a capacidade reunir uma gama extensa de expressões musicais do Brasil em uma linguagem universal, comunicando-se com os públicos mais variados e causando o mesmo deslumbramento.

A beleza das melodias e a criatividade dos improvisos, além da virtuosa técnica de Chico Chagas, enriquece a sonoridade do acordeão, explorando o instrumento em todo o seu potencial. O objetivo principal, que é envolver o público emocional e fisicamente, em uma viagem sonora pelo Brasil, tem sido plenamente atingido em todas as apresentações.

A colaboração com Dave O`Higgins, um dos mais respeitados saxofonistas da Inglaterra e uma banda mista (brasileiros e ingleses) ajuda na criação de uma atmosfera única, simultaneamente em harmonia com as propostas da world music, do jazz e da mais genuína tradição brasileira.

O acordeão tem uma característica muito curiosa. Ele pode ser tanto associado a um instrumento tipicamente brasileiro, ao forró, ao nordeste e até as milongas do Sul, quanto será associado como tipicamente húngaro, finlandês, francês ou romeno, pelos povos destes países. O acordeão é um instrumento regional por excelência e, sendo tão enraizado, de diferentes maneiras, na cultura musical local de várias partes do mundo, ele raramente é conduzido por um acordeonista a um estágio universal, sendo executado com o mesmo primor nas linhas de diversos e mundialmente apreciados gêneros musicais. Chico Chagas faz exatamente isto.

BIOGRAFIA CHICO CHAGAS
Ele é considerado um mestre da nova geração do acordeão por gênios como Egberto Gismonti, Nana Vasconcelos, Dominguinhos e Hermeto Paschoal. A principal característica da sua música é ser capaz de aproximar de uma forma totalmente inovadora diferentes ritmos e estilos com a tradição brasileira de acordeão. Também baseado em uma matriz claramente “jazz”, suas escolhas em termos de repertório procuram explorar diferentes gêneros musicais de maneira a destacar a versatilidade de seu instrumento.

Chico Chagas nasceu em Rio Branco, AC e começou a tocar com seis anos de idade por incentivo do pai, o acordeonista Chico Arigó, um dos grandes nomes da música acreana. Conta que ele o colocava para estudar todas as noites, em algumas vezes até tentava se esconder, mas era sempre encontrado. Todo o esforço era a vontade de Arigó em ter um filho músico e quando percebeu que Chico tinha aptidão não hesitou em ensinar-lhe o acordeão.

O perfeccionismo com que aprendeu a tocar as melodias, se tornou características dos trabalhos de Chico Chagas. “Foi muito importante porque tudo que faço hoje, me esforço para que seja o melhor, independente do lucro”, diz o músico. Aos 15 anos, Chico Chagas saiu de casa e foi sozinho para Porto Velho, com o objetivo de estudar com o músico Chico Freitas, que hoje é músico de Emílio Santiago. O professor selecionava os alunos que ensinava e Chiquinho foi um dos contemplados em aulas de harmonia e improvisação. Depois de sete meses voltou para casa. Aos 18 anos, o pai o liberou para caminhar sozinho, afirmando que estava preparado.

Na segunda aventura, ele retornou à Porto Velho, dessa vez por um ano e três meses. Quando Chico Freitas foi embora para o Rio de Janeiro, Chico Chagas foi convidado a substituí-lo em uma banda chamada Caravela do Madeira. Em visita a cidade, o professor o viu tocando e dessa vez o tirou de Rondônia e o levou para a cidade maravilhosa.

No Rio de Janeiro, o acreano tocava na noite para pagar os cursos de harmonia, improvisação e piano erudito, que fazia em três escolas. Até que foi chamado para fazer trabalhos com o cantor Zeca Pagodinho e grupo de humor Casseta e Planeta. Depois do trabalho com pessoas conhecidas nacionalmente, Chico Chagas não parou mais de prosperar na carreira. Além das participações musicais em diversas novelas da Rede Globo, ele dividiu o palco com cantoras como Cássia Eller (de quem fazia parte da banda oficial), Ivone de Lara e Elza Soares (de quem foi diretor musical). Gravou e excursionou pelo mundo com Naná Vasconcelos.

O reconhecimento no Rio veio como tecladista e pianista, mas assim que se aprofundou na musicalidade do acordeão, o músico percebeu que o instrumento era o seu par perfeito. A cumplicidade entre os dois é tamanha que ele usou a imaginação e ousou ao fundir o som em estilos diferentes do forró como o jazz. “O acordeão foi rotulado como instrumento folclórico e de forró, resolvi tocar outra coisa. Ser o precursor desse trabalho é muito bom. Meu sonho é sempre levar o instrumento ao limite.”

Em 2005, Chico foi convidado para produzir um CD de Marie Sofhie, na França. Em 2006, se mudou para Londres, onde vive hoje e se apresenta em diversos clubes e festivais na Europa, em concertos solo, duo, trio, ou quarteto.

Além de ter se apresentado com a Orquestra Sinfônica Brasileira, durante sua carreira ele trabalhou com grandes nomes do panorama musical brasileiro, como Milton Nascimento, Hamilton de Hollanda, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Nana Vasconcelos, Paulo Moura, Alceu Valença, Adriana Calcanhoto, João Bosco, Djavan, Maria Bethânia, Chico César, Cássia Eller, entre outros.

Seu mais recente projeto, com o saxofonista Dave O'Higgins, é uma das mais promissoras revelações das próximas temporadas de festivais na Europa e na Ásia, para onde já está levando o seu espetáculo em Novembro de 2009, na Coréia do Sul.

La Salumeria della Musica – Via Pasinetti, 4 - 20141 Milano
Tel. 0256807350
www.lasalumeriadellamusica.com

Marcadores:

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Olá Pitter, você presenteou nosso grande Chico Chagas com um texto belíssimo e é um prazer muito grande acessar sua página. Abraço!

Paulo Arantes

4:42 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home

FOTOS PITTER LUCENA